" A minha estrela é doida! Coube-me nas sortes a Estrela-doida!" - José A. Negreiros -

segunda-feira, dezembro 20, 2004

"mestre, vou fazer a antígona".

"sim?..."

o rosto pálido mas sereno. "com quem?"
falei do encenador.
"só o vi em teatro, com o ribeirinho. nunca encenou antes nada. que eu saiba...".

parecia cansado. muito.

"é um desafio grande. se for bem encenado... por ti, sei que és capaz."

dúvida? que outro sentir, tinha na voz?

tanta coisa queria ter-lhe dito! mas o ciúme estrangulou e falei do ribalta, o grupo dele.

"está difícil. vamos ter de procurar espaço para representar. em palmela talvez. tenho um projecto para gil vicente, no castelo. chegando lá os actores de burro, como era de costume. aquela subida, sabes?"

"que bom! eu vou querer ver!"

"se tiveres tempo..."

"o tempo inventa-se".

"veremos".

porque estava ele triste? porque não me contava? o que temia?

"amo-o!" como quem continua frase interrompida. disse-o baixo.

"não, não digas. sofro. não posso. não, não posso!"

era já quase um grito mas de si para si.

"porquê? eu sou uma mulher, raios!"

"e eu casado e um velho . que haveria de dar-te por futuro.
acabarias por odiar o que dizes amar".

"digo? há quanto tempo o digo?"

"perdoa: desde sempre. eu sei que amas. hoje..."

"hoje? que veio cá fazer? vingar-se?
não devia ter vindo".

"vingar-me? nunca! e de quê?
minha querida, verás, mais tarde eu sei, mais tarde...verás que este teu louco amigo tem agora razão".

eu não queria chorar. não queria. não podia.

beijámo-nos como quem tenta afogar-se junto. e as almas fundiram-se, de vez.



em


(louco! louco! louco abençoado amor, ainda não aceito mas sei, já sei: tinhas razão!

a tua irrevogável e para mim inaceitável, razão).


nesse dia esquecemo-nos do tempo. as mãos dadas, olhando em silêncio o mar.

os melros estavam nos ninhos já.

3 Brilhos:

Blogger Maria Branco disse...

O amor não conhece idade, razão ou tempo. Vive-se assim, de mãos dadas, com a primavera, a vida a acontecer na alma...

12:52 da manhã

 
Blogger ognid disse...

Deixo-te um grande beijo de agradecimento por aquilo que fizeste o favor de partilhar até agora. Acredita quando te digo que, diariamente, aqui passo para ler o que escreves. E que é um pequeno/grande prazer das minhas noites. A Maria que, apressada, chegou aqui primeiro pede-me aqui pelo msn que te diga que tem uma admiração muito grande por ti e que te adivinha uma alma imensa através das tuas palavras. E eu assino por baixo, claro.

1:25 da manhã

 
Blogger Madalena Pestana disse...

Ognid, sou um ser normal que teve a honra de Amar alguém que sabia Amar, só isso.

Gostava tanto de ser artista ao contar isto! Ele merecia.

Fica, no entanto a homenagem. Bjs aos dois.

:)

8:39 da manhã

 

Enviar um comentário

<< Home