" A minha estrela é doida! Coube-me nas sortes a Estrela-doida!" - José A. Negreiros -

quarta-feira, dezembro 22, 2004

manhã alta. regresso das mulheres. espanto. dor também.



para ti rosas encarnadas.

estrada fora. óculos escuros que não encobriam o rio que me lavava a cara de água a saber a sal.

onde te teriam posto? não sabia. desligara o telefone sem mais perguntas.

a tua casa e o meu último enorme espanto.

entrei desta vez fragilizada (viva?).

a mulher que vivera contigo tinha amigas em volta que a confortavam. soltou-se delas e veio até junto de mim.

abraçou-me, a senhora.

"obrigada. obrigada. o meu marido morreu feliz porque a viu".

tremia eu. tanto. tinha acabado o mundo.

fui até à capela. deixaram-me contigo. uma velha , enganada no morto, descobriu-te o rosto.

calmo. quase feliz.

"sem vida!"

corri para fora. todo o grupo tinha chegado já.

o teu filho abraçou-me:

"perdemos o mestre, madalena!".

tropeçava já eu nos próprios pés.

insistiram para que não ficasse. não fiquei.

tínhamos dito adeus na noite em que partiras.

nada, nada ficara por dizer.

olhei para trás.

"adeus, amor, adeus".

( não.

deveria ter-te dito "até logo" como o faço agora.

vamos reencontrar-nos porque nada se perde.

soltem ao vento o pó que eu hei-de ser e ele te encontrará.

sempre assim foi. sempre nos encontrámos após os desencontros.

ressuscitei-te hoje aqui. enquanto eu viver estarás vivo em mim, comigo.

depois, amor. que o fogo me liberte para nos juntar de novo.

árvore morta seremos, mas unida outra vez.)

até breve meu cálice de afecto, minha mão, meu mestre!

já falta pouco, não demoro. tu verás.



FIM

Ao meu neto Francisco esta historiazinha de amor verdadeiro como foi verdadeiro o Amor do Jesus Cristo, o do natal.

17 Brilhos:

Blogger Maria Branco disse...

Sempre soube que um grande amor, vive-se para além do espaço e do tempo, aqui nas tuas palavras confirmei mais uma vez que ele é possivel, que existe! Sei que se viverá eternamente em ti, e que um dia o reencontro acontecerá, sei que nesse momento toda a existência fisica, terá feito sentido.. Aliás, já o fez, tiveste a sorte, e mesmo que por muito pouco tempo, encontrar e viver um grande amor. Nem todos têm esse previlègio..
Hoje, chorei com as tuas palavras, com a dor que te adivinhei, mas, junto a estas minhas lágrimas uma imensa ternura e um sorriso por saber que amaste e foste amada com toda a intensidade e profundidade com que o amor deve ser vivido...
Sei, que o Francisco irá sentir um orgulho imenso ao ler esta historia, pela força, coragem, sensibilidade e alma imensa que estas palavras revelam..
O mesmo orgulho, que eu senti, apesar de não te conhecer, e como já disse antes uma profunda admiração!
Mais uma vez, o meu muito obrigada.. Guardarei a tua história, com um carinho imenso.
Muitos, muitos beijos

12:40 da manhã

 
Blogger ognid disse...

Quero comentar-te e faltam-me palavras. Sobra-me uma irritante humidade nos olhos. Tenho medo que o que escreva possa profanar a tua história, esse amor que nos contaste, que viveste, que vives. Assim, apenas te digo que acho o "até logo" mais apropriado. Vão reencontrar-se, onde e como não sei. Mas vão. Quem ama assim não pode ser separado. Cedo ou tarde reencontram-se. Deixo-te um beijo emocionado. Um bom Natal.

P.S. porque precisas de palco e de luzes, como me disseste, vou postar para ti mais umas modestas fotos que tenho. Espero que gostes.

12:41 da manhã

 
Blogger Aromas Do Mar disse...

Estou como o Ognid, quero falar, mas as palavras ficam-me presas na garganta e os olhos vão turvando à medida que vou interiorizando esta história de um amor incondicional.
Sei que mais dia menos dia vou postar sobre ti, talvez porque algo nos una.
O Francisco vai sentir um grande orgulho na avó quando ler esta história..., quem não o sentiria?
Para ti deixo-te o meu MUITO OBRIGADO,fazendo votos para que tenhas um Feliz Natal e que em 2005 alcances tudo o que desejas.
Um beijo enorme
Mar Revolto

3:40 da manhã

 
Blogger Madalena Pestana disse...

Maria, Ognid, Mar revolto/Mar azul e outros poucos que em silêncio tb passaram por aqui: sem o vosso apoio não teria conseguido terminar de contar, tão por vezes doloroso foi.

Obrigada, muito.

Estou muito calma hoje. Fez-me bem. Lembrar a força do amor limpa o olhar da mesquinhez de muita vida em volta.

FELIZ NATAL a todos!

Beijos.

Madalena

9:30 da manhã

 
Blogger lena disse...

maravilhoso texto, madalena

para ti, rosas encarnadas também

:)*

12:46 da tarde

 
Blogger Madalena Pestana disse...

Obrigada Laura, sobretudo pelas rosas. :)

Bom Natal!

Bjs.

1:11 da tarde

 
Blogger Vera Cymbron disse...

Ofereço-te o meu silêncio mais puro, das palavras mais puras que evito dizer...estou petrificada com a tua história. Admiro a coragem que te habita, admiro a mulher que amou desta forma...
Um santo e feliz Natal e um ano novo cheio de coisas boas.
Jinhos

1:14 da tarde

 
Blogger Madalena Pestana disse...

Blue, muito obrigada pela paciência de teres lido e... pelo resto também. :)

Feliz Natal!

A vida dói mas VALE a pena.

1:21 da tarde

 
Blogger Luna disse...

Não digo nada...
No amor será sempre um até logo...Um beijo

4:50 da tarde

 
Blogger Madalena Pestana disse...

Um beijo, luna do silêncio.

Bom Natal!

5:16 da tarde

 
Blogger Å®t_Øf_£övë disse...

Passo hoje por aqui para desejar um Bom Natal.

5:38 da tarde

 
Blogger Madalena Pestana disse...

Obrigada pela visita e Bom Natal para ti!

:)

6:24 da tarde

 
Blogger Cristina disse...

Um feliz natal. beijinhos

7:43 da tarde

 
Anonymous Anónimo disse...

Madalena,
Desejo que continues a viver a tua vida com a mesma intensidade com que a viveste nesse passado já distante, mas com a tranquilidade que os anos e a vida nos vão trazendo.
A escrita é uma forma de nos libertarmos de fantasmas do passado. No teu caso, é também um hino à força do amor. Amor que um dia me tentaste ensinar, meio a sério, meio a brincar e que eu sozinho (e também contigo) fui aprendendo a descobrir.
Também tu foste Mestra para outros. Contigo aprendi, por exemplo, que o amor é intenso e é excessivo, mas que vale a pena ser vivido.
Hoje não tenho dúvidas que "quem quase morreu ainda está vivo, mas quem quase amou, nunca amou realmente!"
Não vás ainda. Continua connosco. Estamos contigo.
Um grande beijo e Feliz Natal.
Gonçalo.

12:17 da manhã

 
Blogger Madalena Pestana disse...

Para ti, Gonçalo, um sorriso.

Bom Ano Novo!

Felicidades. Ama sempre. Bem!

8:59 da manhã

 
Anonymous Anónimo disse...

a rosa faz-me lembrar alguma coisa. puxa! sou mesmo uma tarada!

11:33 da tarde

 
Anonymous Anónimo disse...

Uma estória bonita.
Madalena, um beijinho, o Natal já foi, mas desejo-te um ano de 95 espectacular.
Beijo
Abd..

10:56 da manhã

 

Enviar um comentário

<< Home