" A minha estrela é doida! Coube-me nas sortes a Estrela-doida!" - José A. Negreiros -

segunda-feira, dezembro 13, 2004

em consulta ainda. dois anos e meio após o início.

"esta noite há recital em setúbal. homenagem a bocage".

"tu vais?"

"claro. combinei. entro no fim".

olhei a injecção. tinha o dobro do líquido.

"porquê?"

"vais mais descontraída. dizes melhor".

ao fim da consulta senti-me tonta.

"isso passa. verás.
leva por mim uma coroa de flores ao mestre".

"não, não levo!"

bati com a porta e apoiei-me de imediato nela. o efeito da droga durou até à noite.

no teatro nem lembro de dizer o soneto que me coube. ansiava só a deixa para sair de cena: pétalas de rosa branca que continuariam a cair sob um faixo de luz.

"correu mal, mestre? estraguei tudo? notou-se?"

"não. ouve as palmas. correu bem. acalma-te. que foi?"

"ele drogou-me. queria que eu não viesse. por si. não, contra si".

"vai para casa. descansa. precisas. vê-se bem!" beijou-me a testa.

" fala ao teu pai sobre isso se achares que deves. até logo".

"até logo".

não falei ao pai.

tive o prazer de olhar nos olhos o médico e dizer-lhe:

"foi um sucesso o recital".

"e tu?"

"também".

"e o tal mestre?"

"recebeu muitas flores. ramos de flores.

a coroa guardei-a para si!"


old gate

inútil barreira de ferro. tão fácil afinal de derrubar.

nunca, nunca mais me travariam!

sinto-me só agora, neste escrever sem estilo.

até logo a quem lê.


7 Brilhos:

Blogger ognid disse...

Não estás só. Aqui pelo menos. Nós vimos cá mesmo que, por vezes, não comentemos. Parece-me que te está a ser penoso. No pouco que vale tens a nossa força. Bjs

1:26 da manhã

 
Blogger R/B Estação disse...

Até logo.
Fico à espera de mais.
Bjs.

12:53 da tarde

 
Blogger Onan disse...

Já sabes, claro: mais descontraída dizes pior.

1:11 da manhã

 
Blogger Maria Branco disse...

Que não te sintas nunca só... Estamos aqui, abraçamos-te silênciosamente, Sente apenas...
Deixa fluir as palavras, solta-as, depois, depois talvez seja mais facil em ti! Sei que em muitos momentos não te é facil, sinto o nó, e as lágrimas que as palavras tentam segurar, o que eu sinto? Indiscritivel.. Mais uma vez o meu muito obrigada por esta partilha! Muitos beijos

7:19 da tarde

 
Blogger Madalena Pestana disse...

Obrigada a todos. :)
estive de férias. Volto. Vamos ver se repego esta historiazinha e a termino.

Tem sde ser.

:) **

8:35 da manhã

 
Blogger lena disse...

brilhante e perturbante
*:)

11:35 da manhã

 
Blogger Aromas Do Mar disse...

Eu estou completamente agarrada a esta história, por favor vem continuá-la, por ti...por mim...por nós.
Um beijo da Mar Revolto

3:06 da manhã

 

Enviar um comentário

<< Home